Santarém - Pará, 11/12/2019 , 08:43:54 - Bom dia
 
Publicidade


Publicidade

O livro pode ser adquirido por sedex e solicitado a pe. Edilberto
Sena, edilrural@gmail.com ou pelo telefone 0055 93 35231066.

Pagamento via banco Bradesco agencia 0524 C/C 0033059 -0

Progresso é uma coisa, se vai melhorar a qualidade de vida não é certo!
22/8/13

Progresso é uma coisa, se vai melhorar a qualidade de vida não é certo!

Uma fábrica de cimento em Santarém é o motivo da viagem do prefeito e presidente da Câmara, acompanhados por um diretor da Associação Empresarial do Município. Os três vão negociar com uma multinacional brasileira que venha se instalar em Santarém. Onde será? Na periferia da cidade? No planalto? De onde virá a matéria prima? O calcário de Monte Alegre pertence a outro império do cimento que já tem fábrica em Itaituba, outra mina de calcário aqui na região não se tem informação. Certamente que os bem informados devem saber onde está a mina.

Com  um detalhe, o cimento produzido em Itaituba, com matéria prima local e isenções de impostos, duplicou de preço, comparado com o cimento antes importado. O prefeito e seus parceiros viajaram a São Paulo, sem dialogar com a sociedade organizada. Esta não sabe a localização da fábrica, nem as vantagens que o prefeito vai oferecer para concorrer com Manaus. Conjetura-se que o gestor santareno, interessado em seduzir a multinacional a vir ao município, deve oferecer vantagens, como terra pública livre, rodovia asfaltada e isenção de alguns impostos.

Por que ele não abriu o jogo com a FAMCOS (federação das associações comunitárias de Santarém), UNECOS (União de entidades comunitárias de Santarém), sindicatos (são 17 sindicatos na idade) e organizações em defesa do ambiente? Por que decide isolado, apenas com um vereador e um empresário? Assim foi anos atrás com o porto da Cargill, os portos privados na grande Prainha, a invasão da plantação de soja e outros projetos, que chegaram com a capa de  desenvolvimento, empregos e bem estar da sociedade.

Qual desses empreendimentos trouxe melhoria da qualidade de vida para a população? Quantos desses estão mais ricos à custa dos prejuízos da cidade e de seus habitantes?

Uma fábrica de cimento polui fortemente uma área ao seu redor. Será que o segredo do prefeito é por medo da reação dos moradores da vizinhança? Será que ele vai exigir que o saco de cimento da nova fábrica de Santarém deve ficar mais barato do que o de Itaituba? Quem vai ter vantagem com a nova fábrica, a população, ou os donos da indústria? Nada disso o prefeito discutiu com a sociedade organizada. Quando candidato, o prefeito escreveu que seria "sempre em defesa de Santarém e do Tapajós". Agora se percebe o que ele queria dizer com a frase. Ir a São Paulo acompanhado apenas de empresário e vereador não é legítimo decidir sozinho um empreendimento que vai afetar a vida da população. Nem tudo que brilha é ouro.

 

Rádio Rural - Todos os Direitos Reservados.

Publica Site: construção e publicação de sites em Santaém e Região Oeste do Pará


 

Para bem visualizar este site, atualize os navegadores