Santarém - Pará, 29/01/2020 , 08:26:34 - Bom dia
 
Publicidade


Publicidade

O livro pode ser adquirido por sedex e solicitado a pe. Edilberto
Sena, edilrural@gmail.com ou pelo telefone 0055 93 35231066.

Pagamento via banco Bradesco agencia 0524 C/C 0033059 -0

O soneto foi degradante, mas o remendo foi pior...
2/07/2013

O soneto foi degradante, mas o remendo foi pior...

A SESSÃO de ontem na Câmara de vereadores teve um CENÁRIO SIGNIFICATIVO em vários sentidos. Um deles foi a força da DEMOCRACIA DIRETA. O plenário estava lotado de FISCAIS DA SOCIEDADE civil sobre os VOTOS dos vereadores sobre um PROJETO ESCANDALOSO do poder executivo. Era o tal do Núcleo de Gerenciamento de Obras especiais, NGO. Outro visual da última sessão do semestre foi a calça curta dos vereadores para tentar EXPLICAR o INEXPLICÁVEL projeto de mais uma secretaria disfarçada de Núcleo de Gerenciamento.

Alguns VEREADORES se DESDOBRARAM para tentar explicar a necessidade de APROVAR o tal PROJETO. Embora no projeto enviado pelo executivo constasse explicitamente o núcleo com 97 novos funcionários, todos com DAS, osDEFENSORES DO ESCÂNDALO afirmavam que seriam apenas 29 novos, pois os outros cargos do projeto já existiam não se sabe em qual secretaria. A crítica era, se já existiam por que constavam ali novamente? gaguejavam e não conseguiam convencer.

Era penoso ver vários vereadores querendo REMENDAR o SONETO mal elaborado. Daí a pouco chegou um secretário do executivo com um papel dizendo que seriam apenas 27 novos funcionários, como se isso fosse JUSTIFICÁVEL, quando dezenas de PROFESSORES tiveram CORTES em seus salários por CONTENÇÃO de GASTOS. Enquanto professores que ganhavam por 200 horas de trabalho, um minguado salário, o engenheiro mor desta nova invenção da prefeitura vai fatura R$ 9.900,00 reais por mês.

A EDUCAÇÃO foi PREJUDICADA, os VEREADORES ACEITARAM CALADOS o corte na educação e agora, queriam aceitar calados mais um ESCÂNDALO FINANCEIRO aos COFRES PÚBLICOS. Felizmente diante da força da democracia direta, com as paredes do plenário da Câmara cheias de cartazes denunciando a indecência, até com um painel pronto para registrar os nomes dos vereadores que votassem aprovando o tal projeto, os VEREADORES RECUARAM e deixaram para o mês de AGOSTO a VOTAÇÃO

Alguns membros da luta por justiça social entenderam que teria sido uma manobra dos ilustres vereadores para ACALMAR os PROTESTOS e deixar os GRUPOs ESQUECER e então VOTAREM e APROVAREM a INDECÊNCIA em GASTOS. Porém, os MANIFESTANTES PROMETEM VOLTAR ao PLENÁRIO em AGOSTO. Por isso, que continua valendo a frase -“político e feijão duro, só amolece com muita pressão”.

 

Rádio Rural - Todos os Direitos Reservados.

Publica Site: construção e publicação de sites em Santaém e Região Oeste do Pará


 

Para bem visualizar este site, atualize os navegadores